Em suas férias pela Riviera Pacífica panamenha, que tal se afastar por um momento de suas incríveis praias e explorar as montanhas? Nelas, em meio à natureza, a Riviera esconde seu melhor segredo: muitas trilhas e quedas d’água dentro de florestas. Sugerimos 10 lugares para descobrir o lado verde da Riviera Pacífica.

1. Sendero La Cruz

  • Local: Parque Nacional Altos de Campana, Panamá Oeste
  • Distância: 1,3 km (percurso de ida)
  • Dificuldade: moderada

Embora seja um percurso curto, esta trilha contém trechos inclinados que exigem esforço. A cruz do mirante oferece uma vista espetacular do local exato em que o Rio Chame se encontra com o Oceano Pacífico, além da incrível silhueta das montanhas.

Antes de chegar, você precisará atravessar alguns riachos e poderá observar como a paisagem e a vegetação mudam pouco a pouco. O mais espetacular? A floresta úmida, repleta de musgos, bromélias e orquídeas.

Para chegar, saia no Km 60 da Rodovia Pan-americana. Uma sinalização de “Loma de Campana” indica o caminho até os estacionamentos do parque.

Dica: como o caminho não está bem sinalizado, é essencial contratar um guia.

2. Cachoeira El Manglarito

  • Local: Sorá, Chame
  • Distância: 3 km
  • Dificuldade: baixa

Cascada El Manglarito, Sorá, Chame

Conhecida como a joia do povoado de Manglarito, esta cachoeira é um verdadeiro tesouro escondido. Para chegar, você pode contratar uma caminhada guiada com partida perto do posto policial, no qual se reúnem todos os aventureiros para começar o dia. Aproveite um trajeto muito divertido que vai compensar de longe as partes mais difíceis.

Há no final uma descida curta e fácil de mais ou menos 10 minutos, mas é preciso ter cuidado para não escorregar. Ao terminar esse percurso, você chegará à parte mais alta da cachoeira, de onde terá uma impactante vista panorâmica da queda d’água. Depois, poderá descer entre as rochas até a lagoa, perfeita para nadar contra a corrente e se refrescar com a água e o vento.

Dica: vá com um guia especializado que possa indicar quando é seguro entrar e sair da água, sobretudo em épocas de chuva.

3. Cachoeira Saca Lágrimas

  • Local: Buenavista Chicá, Panamá Oeste
  • Distância: 8,58 km
  • Dificuldade: alta

Chegar a esta cachoeira é uma aventura especial. De fato, seu nome “Saca Lágrimas” (Chorar) descreve de forma bem-humorada o esforço exigido para ter a merecida recompensa.

O percurso tem subidas bastante inclinadas, descidas exigentes e travessias de rio. Em alguns trechos, a trilha é muito estreita, o que aumenta a adrenalina e o esforço. Mas ao final, a imponente queda d’água de 45 metros vai deixar você sem palavras.

Se chegar à parte mais alta, você verá ainda mais cachoeiras. A primeira delas, com 7 metros de altura, forma uma pequena poça antes de cair.

Ainda que não seja um lugar apto para entrar na água, é uma oportunidade incrível para apreciar a natureza e tirar fotos que vão impressionar em suas redes sociais. Ao descer, você vai encontrar pontos mais adequados para um mergulho, inclusive com cachoeiras próprias. Não deixe de conferir o famoso Charco El Duende.

Dica: não deixe de conferir o famoso Charco El Duende.

4. Cachoeira La Gloria

  • Local: Capira, Panamá Oeste
  • Distância: 800 m
  • Dificuldade: baixa

Cascada La Gloria

O caminho que conduz a La Gloria é paralelo à divisa da província Panamá Oeste e à bacia do Canal do Panamá.

O ponto de encontro é a casa do senhor Aníbal, muito conhecida pelos guias locais. O início é bastante fácil, e você pode aproveitar para contemplar orquídeas endêmicas e observar aves. A trilha leva até o topo da cachoeira, que tem uma queda de 87 metros e uma paisagem inesquecível.

Escalonada, a estrutura da cachoeira é ideal para praticar rapel. Por isso, vale a pena ir com um guia especializado e equipamentos adequados. Há também quem percorra o caminho na direção contrária, escalando com a ajuda das rochas. Encare a aventura e mergulhe direto das rochas nas lagoas naturais.

Como o caminho passa por propriedades privadas, é preciso contratar um guia da área e levar dinheiro em espécie para fazer pagamentos locais. Por cerca de US$ 2, você pode usar armários e banheiros.

Dica: há muito perto outras cachoeiras com nomes curiosos como La Tulivieja e La Hija de la Tulivieja, que também podem ser visitadas na mesma caminhada.

5. Caminhada de Piedra Pintada até La India Dormida

  • Local: Valle de Antón
  • Distância: 1,66 km
  • Dificuldade: média

India Dormida, El Valle de Anton

O Valle de Antón é um povoado localizado na cratera de um vulcão e cercado de morros com formas peculiares. A montanha La India Dormida (A índia adormecida) é a mais característica de todas, pois tem a forma de uma mulher deitada, o que inspirou lendas em torno de sua figura.

Esta trilha faz parte da “Ruta de la Caldera”, que inclui outros três caminhos e compõe em total um circuito de quase 30 km que dá uma volta completa pela cratera. O trecho de La India Dormida começa na Piedra Pintada (Pedra Pintada), um sítio arqueológico com marcas de mãos dos antepassados que viveram nessas florestas, e termina na “cabeça” da India. É um percurso relativamente curto e fácil, com algumas subidas desafiadoras.

Dica: em Valle de Antón, também é possível contratar outras atividades para fazer em La India Dormida, como observação de aves e rapel.

6. Caminhada até o Cerro Caraiguana

  • Local: Valle de Antón
  • Distância: 2 km
  • Dificuldade: moderada

Cerro Cariguana, El Valle de Antón

Esta caminhada integra o circuito que dá volta pela cratera do Valle de Antón. Embora o Cerro Caraiguana esteja localizado na parte interior da cratera do vulcão, é possível ver de seu pico todo o vilarejo, seu entorno e a imensidão do Oceano Pacífico.

A primeira parte do percurso pode ser feita de carro por uma estrada de terra, já a segunda (e mais bonita), é percorrida a pé. Os especialistas recomendam subir ao amanhecer ou ao entardecer para aproveitar a melhor luz para fotografias.

Dica: não esqueça que esta trilha faz parte da “Ruta de la Caldera”. Basta se programar e é possível fazer o circuito completo em etapas.

7. Caminhada até o Cerro Gaital

  • Local: Valle de Antón
  • Distância: 2,48 km
  • Dificuldade: baixa a média

Cerro Gaital, El Valle de Antón

Ao norte do Valle de Antón, o Cerro Gaital também faz parte do circuito que percorre a cratera do vulcão.

A subida ao Gaital cruza uma floresta nublada coberta de musgos e repleta de vida, perfeita para observar aves. Já no pico, uma placa indica o caminho até o mirante, no qual é possível ver ambas as vertentes da montanha, além de aproveitar uma vista espetacular do vilarejo e do Oceano Pacífico. Há também quem diga que, em dias muito claros, até mesmo o Mar do Caribe está visível!

Dica: por sua natureza, o Cerro Gaital permanece coberto de nuvens, com ventos fortes e chuvas na maior parte do tempo. Isso não quer dizer que a subida esteja restrita – muito pelo contrário, ela é um verdadeiro espetáculo. Mas não deixe de levar uma jaqueta corta-vento, roupa impermeável ou suéter.

8. El Chorro Macho

  • Local: Vía La Mesa, Valle de Antón
  • Distância: 200 m (somente a trilha)
  • Dificuldade: baixa

Sendero Chorro El Macho, El Valle de Antón

Esta impressionante cachoeira tem uma queda de 35 metros e está localizada no meio de um refúgio ecológico em que é possível apreciar a natureza de ângulos únicos.

Há duas opções para chegar: a primeira, cheia de adrenalina, passa por pontes suspensas e tirolesas para deslizar sobre as árvores. A segunda é uma caminhada curta e fácil por plataformas de madeira e duas pontes suspensas. O caminho está bem sinalizado e não exige muito esforço.

Ao final do percurso, você pode tomar um banho nas lagoas naturais do rio ou no balneário. Dependendo da aventura escolhida, os preços vão de US$ 5 a US$ 65, aproximadamente.

Dica: a melhor época para visitar é o período de janeiro a abril, durante a estação seca. Para o restante do ano, é preciso se informar sobre as condições climáticas, mas a paisagem é mais verde, os rios estão mais cheios e as águas da cachoeira são mais abundantes.

9. Cachoeira El Águila

  • Local: Valle de Antón
  • Distância: 2,5 km
  • Dificuldade: alta

A cachoeira El Águila não é a mais alta do local, mas oferece uma vista de tirar o fôlego e um dia de aventura inigualável. Para começar, uma trilha inclinada leva pouco a pouco até as profundezas da floresta. Depois, você caminhará às margens de um rio em meio à natureza selvagem. Finalmente, ao chegar à cachoeira, você verá vários riachos que desembocam em uma mesma piscina natural. Uma paisagem perfeita para uma refrescante recompensa.

Se ainda quiser mais aventura, há depois da cachoeira um caminho mais difícil no qual você deverá até mesmo fazer escalada em rocha. Sua recompensa será a chance de observar uma sequência de piscinas naturais.

Dica: como esta trilha está dentro de uma propriedade privada, é preciso contratar um guia com antecedência.

10. Chorro Pozo Azul

  • Local: comunidade La Vieja, a uma hora de carro do Valle de Antón
  • Distância: 200 m
  • Dificuldade: baixa 

Cascada Pozo Azul, El Valle de Antón

Chegar a esta cachoeira é relativamente fácil. Siga as indicações de seu mapa e prepare-se para pagar aproximadamente US$ 2 pela entrada.

Depois, uma curta escada de cimento levará você ao lindo poço que forma a queda d’água. A origem de seu nome é o azul profundo da água, que faz contraste com um cenário totalmente verde à sua volta. No Chorro Pozo Azul, você pode viver um dia cheio de adrenalina, pulando na água a partir das rochas e nadando contra a correnteza, além de subir pelas rochas até a parte alta da cachoeira para apreciar a vista do topo.

Dica: o Pozo Azul fica aberto ao público das 8h às 17h e tem uma capacidade máxima de 80 visitantes por dia e 40 pessoas de cada vez. Depois de pagar a entrada, você não encontra nenhum tipo de serviço; será só você e a natureza.

Seja qual for o caminho escolhido, não se esqueça de contratar sempre um guia para as trilhas. Dessa forma, você não só contribui para a economia local, mas também faz os percursos com mais segurança e evita perdas de tempo. Se for visitar em época de chuva (aproximadamente de abril a dezembro), escute as recomendações dos habitantes locais e fique alerta ao clima para saber se é seguro visitar as cachoeiras.

Quando visitar a Riviera Pacífica, não se esqueça de conhecer seu lado mais verde e percorra suas florestas tropicais e florestas nubladas.